sábado, 12 de novembro de 2016

NESHIMAH-VIDA

ento”






Pode-se entender que neshamá parece se referir ao ato da respiração, enquanto o “sopro de vida” (ruach chayim) se refere ao ar, que dá vida aos animais. 

“kol-neshamá”
...vejamos algumas passagens que usam a fraseologia, “kol-neshamá”: 


Devarin 20;16 Mas das cidades deste povo, que יהוה teu Ulhim te
dá por uma herança, tu nada pouparás com vida aquilo
que respire:[kol-neshamá]


"Mas, das cidades destes povos, que YHWH teu ULhim te dá em herança, nada que tem fôlego [kol-neshamá] deixarás com vida. Antes destrui-las-ás totalmente: aos heteus, e aos amorreus, e aos cananeus, e aos perizeus, e aos heveus, e aos jebuseus, como te ordenou YHWH teu Elohim." (Devarim/Deuteronômio 20:16) 


40 Assim Yahoshua feriu toda a terra das colinas, e do
sul, e das nações baixas, e das corredeiras, e todos seus completamente tudo que tinha fôlego, (kol-haneshamá) como יהוה Ulhim
de Yahshorul ordenara.


11 E eles feriram todos os seres (kol-hanefesh) que estavam nela à ponta
da espada, completamente os destruiram: não houve
qualquer um deixado com fôlego:(kol-haneshamá) e ele queimou Chatzor
com fogo.


Nas passagens descritas; "kol-neshamah" poderia ser traduzido literalmente como “todo fôlego”. Evidentemente, referindo-se a todo aquele que tem fôlego, isto é, o Tanach procura enfatizar nesses trechos a morte de todas as pessoas. 


2ª Samuel 22:16 E as canalizações do mar apareceram; os fundamentos
do olam ficaram descobertas, pela repreensão de ,יהוה
pelo assopro do vento (minishmat rukha) de Suas narinas






Tehillim-salmos 18;15 Então os canais de mayim foram vistos, e os
fundamentos do olam foram descobertos em Tua
repreensão, Ó יהוה , na estrugir do fôlego das Tuas
narinas (minishmat rukha) .



nefesh também aparece se formando em conexão com neshamá (fôlego) e rukha (sopro) em Bereshit (Gênesis) 2:7


bereshit-genesis 2;7 E יהוה Ulhim formou o homem do pó da terra, e
soprou (rukha ) em suas narinas o fôlego (neshamá) da chayim, e o homem
tornou-se um nefesh (alma) vivente.
Acima, a linguagem poética também se utiliza do antropomorfismo para afirmar que a terra seca apareceu a partir do momento que o fôlego de YHWH foi soprado pelas suas narinas. Novamente, “neshamá” aparece como o movimento do fôlego, e rukha - aqui traduzido como vento - é o que sai das narinas. 



O uso de neshamá (fôlego) aqui novamente se refere à vida da pessoa. "Para quem proferiste palavras? E de quem é o espírito [venishmat] que saiu de ti?" (Iyov/Jó 26:4) "O espírito do homem [nishmat adam] é a lâmpada de YHWH, que esquadrinha todo o interior até o mais íntimo do ventre." (Mishlei/Provérbios 20:27)




...então o filho da mulher proprietária da bayit, caiu doente; e sua
doença era tão severa, que não lhe restava fôlego "neshamá". Melachim Alef/1 Reis 17:17)
A ausência de fôlego é usada na escritura para se referir ao estado d e óbito da criança!


"sopro (minishmat) de yhvh

Pelo sopro de yhvh eles perecem, e pelo Rukhah de
Suas narinas ele são consumidos." (Iyov/Jó 4:9) 

o conceito de "neshamá" seja ele literal ou figurativo, permanece sendo o do fôlego.

"A Rukha de yah me fez, e o sopro do [venishmat] Shadai me dá vida." (Iyov/Jó 33:4)

(Iyov/Jó 34:14-15);14 Se Ele pusse Seu lev(coração) no homem, se Ele ajuntasse para
Si mesmo o rukha do homem e seu o seu sopro;
15 Toda carne pereceria juntamente, e o homem voltaria
para o pó.

A vida do homem vem pelo fôlego (neshamá) do Shadai (Todo-Poderoso). Isso significa um reconhecimento de que o nosso fôlego vem de Elohim. Essa ideia é semelhante à de Bereshit (Gênesis). Isto é, a vida só existe porque Ulhim lhes concede o seu fôlego (neshamá).

"Tudo quanto tem fôlego [kol haneshamá] louve ao Yah. Halelu-Yah!" (Tehilim/Salmos 150:6)


Assim diz El YHWH que criou os céus e os desenrolou, e estendeu a terra e o que dela procede; que dá a respiração ao povo que nela está, e o espírito [neshamá] aos que andam nela." (Yeshayahu/Isaías 42:5) "Pois eu não contenderei para sempre, nem continuamente ficarei irado; porque de mim procede o espírito [rukha], bem como os fôlegos da vida [neshamot] que eu criei." (Yeshayahu/Isaías 57:16) Em ambas as passagens, o uso do termo neshamá (fôlego) se refere à própria vida. Sem YHWH, o homem não poderia sequer respirar. Foi YHWH quem concedeu o fôlego (neshamá) ao homem, e Ele pode a qualquer momento removê-lo. "Como, pois, pode o servo do meu Adon falar com o meu Adon? pois, quanto a mim, desde agora não resta força em mim, nem fôlego [uneshamá] ficou em mim." (Dani'el 10:17)

A primeira coisa que se observa de equivocado é que neshamá (fôlego) não é superalma, e sim o ato bastante físico da respiração - quando muito um simbolismo para a vida. Ela não separa o homem de outros seres vivos porque, conforme visto em Gn. 7:21-22, o termo é usado indiscriminadamente tanto para homens quanto para animais. A neshamá (fôlego) também não tem qualquer conexão com vida após a morte, pois observa-se em textos tais como Melachim Alef (1 Reis) 17:17 e Iyov (Jó) 34:14-15 que a neshamá (fôlego) não permanece após a morte, pois nenhum morto respira. A ideia de que a neshamá (fôlego) tenha qualquer coisa a ver com intelecto ou consciência da existência de Ulhim também é uma enorme extrapolação do texto poético de Iyov (Jó) 32:8,

Ivonil Ferreira  de Carvalho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário