quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Prisão dos sentinelas do shamaym

LIVRO DE ENOQUE:  A MENSAGEM DA CONDENAÇÃO dos malachim desertores por  YAHVEH


O Livro de Enoque oferece muitas outras informações complementares a cerca da condenação dos Nefilins e as Sentinelas do Shamaym  que receberam a condenação, informações complementares aos relatos do manuscritos do Mar Morto no período em que Enoque não se  encontrava na terra pois tinha sido arrebatado para o Shamaym.

1Antes de todas estas coisas acontecerem, Enoque esteve escondido; e nenhum dos filhos dos homens sabia onde ele estava, onde ele havia estado, e o que havia acontecido.

2Ele esteve totalmente engajado com os santos, e com as Sentinelas em seus dias.
3Eu, Enoque, fui abençoado pelo grande Soberano e Melech (Rei) da shalom.


4E eis que as Sentinelas chamaram-me Enoque, o escriba. 5Então o soberano disse-me: Enoque, escriba da retidão, vai e dize às Sentinelas dos shamayms, os quais desertaram o alto shamaym e seu kadosh e eterno estado, os quais foram contaminados com mulheres....Yahdah (judas);6 E os malachim (anjos) celestiais que não guardaram a primeira casa deles, mas deixaram sua própria casa. Portanto, Ulhim lhes reservou em cadeias eternas, sob trevas, para o grande Yom HaDin (dia do juízo).
7 Assim como Sedom e Amora, e as cidades em volta delas, de modo semelhante, se entregando a si mesmas à prostituição homossexual, e como eles, mantendo relações sexuais com carne estranha, foram postas como um exemplo, sofrendo o mishpat (JUIZO) do fogo eterno.
6E fizeram como os filhos dos homens fazem, tomando para si esposas, e os quais têm sido grandemente corrompidos na terra;

7Que na terra eles nunca obterão paz e remissão de pecados. Pois eles não se regozijarão em sua descendência; eles verão a matança dos seus bem-amados; lamentarão a destruição dos seus filhos e farão petição para sempre; mas não obterão benignidade  e  shalom.
1 Então Enoque, passando ali, disse a Azazy-Ell: Tu não obterás shalom (paz.) Uma grande sentença há contra ti. Ele te amarrará;

2 Socorro, benignidade e súplica não estarão contigo por causa da opressão que tens ensinado; 3E por causa de todo ato de blasfêmia, tirania e pecado que tens descoberto aos filhos dos homens.
4Então partindo dele, falei a eles todos juntos; (Aos anjos iniquios e Nefilins)

5E eles todos ficaram apavorados, e tremeram;

6Abençoando-me por escrever por eles um memorial de súplica, para que eles pudessem obter perdão; e que eu fizesse um memorial de suas orações ascendendo diante do Eterno Yahveh do shamaym; porque eles, por si mesmos, desde então não podiam dirigir-se a Ele, nem levantar seus olhos aos shamayms por causa da infame ofensa com a qual eles foram julgados.
7Então eu escrevi um memorial de suas orações e súplicas, por seus espíritos, por tudo o que eles haviam feito, e pelo assunto de sua solicitação, para que eles obtivessem remissão e descanso.

8Procedendo nisso, eu continuei sobre as águas de Danbadan, (16) as quais estão
lendo o memorial de suas orações, até que caí adormecido.
(16) Danbadan. Dan in Dan (Knibb, p. 94).
9E eis que um sonho veio a mim, e visões apareceram acima de mim. E caí e vi uma visão de castigos, para que eu pudesse ralatá-la aos filhos dos shamayms, e reprová-los. Quando eu acordei fui até eles. Todos estavam reunidos chorando em Oubelseyael, que está situada entre o Líbano e Seneser, (17) com suas faces escondidas.
(17) Libanos e Seneser. Líbano e Senir (próximo a Damasco).
10E relatei em sua presença todas as visões que eu havia visto, e meu sonho;
11E comecei a pronunciar estas palavras de retidão, reprovando as Sentinelas do shamaym.
Capítulo 14
1Este é o livro das palavras de retidão, e de reprovação das Sentinelas, os quais pertencem ao mundo, (18) de acordo com o que Ele, que é kadosh e grande, ordenou na visão. Eu percebi em meu sonho que eu estava então falando com a língua da carne, e com meu fôlego, que o Poderoso colocou na boca dos homens, para que eles pudessem conversar com Ele.
(18) Os quais pertencem ao mundo. Ou, “os quais (são) da eternidade” (Knibb, p. 95).
2Eu entendi com o coração. Assim como Ele havia criado e dado aos homens o poder de compreender a palavra de entendimento, assim criou, e deu a mim o poder de reprovar os Sentinelas, a geração dos shamayms. E escrevi sua petição; e na minha visão foi-me mostrado que seu pedido não lhes será atendido enquanto o mundo perdurar....2ª Kefah (pedro) 4 Pois, se YAHVEH יהוה não perdoou  os malachim (anjos) celestiais que pecaram, mas antes, os lançou no Tártaros, e os entregou às cadeias das trevas, a fim do que fossem reservados para o mishpat (juízo);
3 O Julgamento passou sobre vós: vosso pedido não vos será atendido.

4De agora em diante, nunca ascendereis ao shamaym; Ele o disse que na terra Ele vos amarrará, tanto tempo quanto o mundo existir...


5Mas antes destas coisas tu verás a destruição dos vossos bem-amados filhos; não os possuireis, mas eles cairão diante de vós pela espada.
6Nem pedireis por eles, nem por vós mesmos;
7Mas chorareis e suplicareis em silêncio. As palavras do livro que eu escrevi.
(19) Mas chorareis… Eu escrevi. Ou, “Assim também, a despeito de vossas lágrimas e orações, não recebereis nada, de tudo o que está contido nos registros que eu tenho escrito” (Charles, p. 80)


Apos proferir a condenação Enoque é arrebatado.

Ivonil ferreira  d e Carvalho

o pecado de sodoma e gomorra!

o  pecado de  sodoma e gomorra!
Imagem relacionada

Ora, eram maus os varões de Sodoma e grandes pecadores contra o Eterno Yahveh Criador...disse mais o Yahveh: Porquanto o clamor de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e o seu pecado se tem agravado muito" bereshet (gen-) 18;19-21.

Luka 17;28 Igualmente também sucedeu nos dias de Lot; eles comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e construíam;
29 Mas no mesmo dia em que Lot saiu de Sedom choveu fogo e enxofre da parte do Soberano YAHVEH יהוה dos shamaym (céus), e destruiu a todos eles.
30 Assim mesmo será no dia em que o Ben Adam se revelar.

 Beresshet (gen-)19;
1 E ali chegaram dois anjos de Yahveh a Sedom à noite; e Lot se sentou no portão de Sedom: e Lot avistando-os levantou-se para encontrá-los, e ele prostrou-se com a sua face no chão;
2 E ele disse, Veja agora, meus amos, cheguem-se efiquem aqui, por favor, na casa de vosso servo, epermaneçam toda a noite, e lavem vossos pés, e Vós podeis se levantar cedo, e seguirdes em vosso caminho. Porém, eles disseram, Não; mas nós ficaremos na rua a noite toda.
3 E ele os pressionou grandemente; e eles se recolherampara ficar com ele, e entraram em sua casa; e ele lhes fez um banquete, e assou matzah, de formas que elescomeram. 4 Mas antes deles repousarem, os homens da cidade de Sedom, rodearam a casa em círculo complete ambosvelhos e jovens, todo o povo de todos os quarteirões:
5 E eles chamaram a Lot, e disse a ele, Onde estão os homens que vieram a ti essa noite? Traga-os para fora até nós, para que nós possamos conhecê-los sexualmente.
24 Então pela Palavra de הוהchoveu sobre Sedom esobre Amorah enxofre e fogo da parte de YAHVEH יהוה descidos dos céus;
25 E Ele aniquilou aquelas cidades, e toda a planície, etodos os habitantes das cidades, e aquilo que havia crescido no solo.



Como com morte de Yahshuah hashatan e seus anjos rebeldes foram derribados dos céus para a terra... esses anjos não podendo mais ter corpos humanizados...já que o eterno vedou-lhes esse poder...ficaram na terra fazendo toda essa desordem e perversão sexual existentes...tudo isso incluso homossexualismo... é fruto desses demônios encarnados e ou apossados das pessoas rebeldes!

Rom-1.26 Por causa disso, Ulhim (Ulrrim) os entregou às afeições abomináveis; porque até as mulheres mudaram as suas relações naturais íntimas, para aquilo que é contrário a natureza.
27 E semelhantemente também, os homens, deixando o relacionamento sexual de modo natural com as mulheres, se inflamaram em sua luxúria, uns com os outros; a saber, homens com homens, cometendo atos vergonhosos, e recebendo de volta em seu próprio ego, a retribuição pelo seu erro.
28 E assim sendo, como eles não se agradaram em ter a YAHVEH יהוה noda’at (conhecimento) deles, YAHVEH יהוה os entregou a sorte de umamente devassa, para praticarem tais cousas que são abomináveis!
 

As três maiores religiões monoteístas do mundo, respectivamente, Judaísmo, Cristianismo e Islamismo sempre interpretaram tradicionalmente o pecado de Sodoma como sendo de natureza homossexual (embora, obviamente, este não tenha sido o seu "único" pecado). Os exemplos abaixo (alguns dos quais já mencionados) ilustrarão isso muito bem:

NO JUDAÍSMO: Filo de Alexandria (20 a.C.-40 d.C.) e Flávio Josefo (37-100 d.C) retratam o pecado de Sodoma como sendo de natureza sexual (homossexualismo). Rashi (Sécs. 11-12 d.C.), um dos maiores exegetas da Bíblia Hebraica, ao comentar Gênesis 19:5, menciona o Midrash Bereshit Rabá (datado aprox. do 3º Séc. d.C.) e afirma que o pecado praticado pelos homens de Sodoma era a "pederastia". No que diz respeito à declaração de Ezequiel 16:50, o texto bíblico, ao dizer que os habitantes de Sodoma praticaram "abominação" (hebr. to'evâ) diante de Yahveh, pode estar fazendo uma referência velada ao intercurso anal masculino em uma relação homossexual. Além disso, no Pirkei Rabi Eliezer, um texto exegético antigo, escrito, segundo alguns, pelo Rabi Eliezer ben Hyrcanus (80-118 d.C.) é dito que o pecado dos sodomitas era o "mishkav zakhur", ou seja, o coito anal entre homens. (Estas duas últimas informações são encontradas em: LESSER, Joshua, SHNEER, David & PLASKOW, Judith.
Torah Queeries: Weekly Commentaries on the Hebrew Bible. New York/London, New York University Press, 2009, p.52).

NO CRISTIANISMO: Agostinho (254-430 d.C.), Ambrósio (340-397 d.C.) e Gregório, o Grande (540-604), entre outros, também interpretam o pecado de Sodoma como sendo de natureza sexual (homossexualismo).

NO ISLAMISMO: Finalmente, o Alcorão (Séc. 7º d.C.), também entende que a prática homossexual é o principal pecado de Sodoma mencionado em Gênesis 19. Dois textos do Alcorão (idênticos), ao tratarem do pecado de Sodoma, dizem o seguinte: "(...) vós vos achegais aos homens, por lascivia, em vez de às mulheres" (Cf. Suratu Al-'a'raf 7:81 e Suratu An-Naml, 27:55). Obs.: Na nota de rodapé da tradução do Alcorão para o português, feita pelo Dr. Helmi Nasr, a primeira referência qurânica citada recebe o seguinte comentário explicativo: "Alusão às práticas homossexuais, disseminadas entre o povo de Lot".



 Teslonikyah Bet – תסלוניקיאב-Segunda Aos Tessalonicenses...2
7 quando o Soberano Yahshuah יהשועה,  se manifestar desde o shamaym (céus) com os malachim (anjos) celestiais, com Seu poder.
8 Em ardor de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a YAHVEH יהוה, e contra os que não obedecem à Besorah de nosso Soberano Yahshuah hamashyah יהשועה המשיעה
9 Os quais, serão punidos com destruição eterna, banidos da presença de YAHVEH יהוה, e do esplendor do Seu poder.

Gilyahna(apo)  22;15 Porque fora ficam os cães e os feiticeiros, e os devassos, e os assassinos, e os idólatras,  os que se entregam a práticas homossexuais de qualquer espécie, e todo aquele que ama e comete a mentira no curso da sua vida.

Gilyahna (apo) 21;8  Esses...terão sua parte no lago que arde com fogo e enxofre; esta é a segunda morte.

Ivonil ferreira d  e carvalho

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Sincronia Biologia Astronomia parte 2

Sincronia Biologia Astronomia parte 2


 O TEMPO O tempo é lindo, é admirável, é visível na forma do crescimento, num instante vemos nossos filhos engatinhar no outro, já o vemos quase adultos, surgem pêlos, barbas, voz grossa, formas, humores, menstruação, mudanças no corpo e um despertar da sexualidade, dali a pouco já estão tenho seus próprios filhos e vemos o branquear dos nossos cabelos, e surgirem sinais em nossos rostos, pele e nas formas... é um movimento lento e constante, não distingue cultura, raça ou classe social, é o passar do tempo... O tempo... que mistério! Como se dá isto? Onde está o tempo? Como nosso corpo faz esta leitura fantástica? O tempo é movimento, podemos afirmar que o movimento é diário como vemos na rotação da terra ao redor de seu eixo no espaço, quando ao mesmo tempo sentimos a força destes estímulos na forma de mudanças hormonais diárias, nos proporcionando entre outras coisas os períodos constantes de vigília e sono. Vemos o tempo passando em forma de meses, medido na revolução da lua ao redor da terra, enxergamos claramente as mudanças ocasionadas por este movimento ao observarmos um bebê recém-nascido, que mês a mês começa a reconhecer, sentar, engatinhar, ter dentes e andar etc. O tempo também é movimento na translação da terra ao redor do sol, neste as nossas mudanças são ainda mais evidentes, basta pegar nosso álbum de fotografia...Movimento do céu, mudanças impregnadas em nosso corpo, mente e emoções. Esta incrível engrenagem pouco compreendida, foi estruturada no início da criação, podemos ler esta descrição em Gên. 1: 14 a 18, dois luminares colocados no espaço para designar o tempo. Tempo. Quanto mistério envolvido nesta simples palavra! O sol, a lua e as estrelas emitem o que entendemos e traduzimos por: luz ultravioleta, gases e poeira, as vezes estes fenômenos se fundem causando energia, que se materializa em explosões gigantescas dando grandes espetáculos de luz, cores, e com certeza de sons. Estamos viajando no espaço numa velocidade especificada pelo Criador para um determinado ponto designado por Ele. Todos chegaremos a este ponto e lugar no espaço como humanidade, o que corresponde a uma dimensão da realidade. Não pense que todo este espetáculo existe no céu para absolutamente nada e para nada servem e que em nada eles nos influenciam, tudo está interligado com nosso ser de forma impressionante! E este assunto apenas começou a ser compreendido, ele rendeu aos norte-americanos Michael Warren Young, Michael Rosbash, Jeffrey C. Hall, o Prêmio Nobel de Medicina ou Fisiologia de 2017, por suas descobertas sobre o relógio biológico interno dos seres vivos, conhecido como ritmo circadiano, um relógio no centro do cérebro ligado, sincronizado com o fantástico relógio dos astros no céu. GLÂNDULA PINEAL E OS ASTROS NO CÉU O que faz esta ligação? A glândula pineal, é o único órgão do nosso corpo que está ligado com o espaço tempo. Ela fica no centro do órgão mais importante do nosso corpo, o cérebro, ela capta as interferências da luz do sol, da lua inclusive ela capta a influência do brilho das estrelas! Incrível! Esta glândula tem múltipla funções corporais, seja na parte biológica, seja na parte psíquica. Entre as funções neurológicas, a glândula pineal é responsável pela liberação de dimetiltriptamina (DMT) que é o precursor da serotonina, aquela tal que não deixa você ficar deprimido, é espantoso que o humor é regido pela produção de hormônios produzidos por esta glândula. Ela também regula os ritmos corporais como o sono e as funções sexuais etc., todas elas sentidas e embaladas durante o crescimento no ritmo da existência e mostram fisicamente seus efeitos no nosso ser pessoal. Um exemplo fantástico da função desta glândula está ligada a própria formação do ser humano, a função endócrina, o despertar o tempo exato das glândulas sexuais, a fertilidade, estes hormônios são tão complexos que fazem ser possível nossa própria existência. Não importa o dia de uma concepção, o corpo da mulher ajusta a gravidez com o tempo lunar, de forma que a maturação do bebê se dá com as influências do relógio da lua, o é um elemento de captação da glândula pineal sincronizando-a com o ciclo da lua. A ovulação, a menstruação também obedece ao mesmo ciclo lunar. Tudo muito perfeito! MOVIMENTO NO ESPAÇO Nós calculamos instintivamente os movimentos dentro do espaço tempo disponível a nossa volta, nas coisas em nosso alcance; mas tudo está numa dimensão muito maior! Estamos em movimento, conectados uma estrela chamada sol, num deslocamento continuo em relação ao espaço interestelar, cada um de nós é um passageiro, que ganhou um “bilhete de embarque”, com informações específicas e individuais estão escritas no interior de suas células, isto identificará a que “vagão” pertencemos, é importante também lembrar que seu bilhete é uma espécie de relógio (glândula pineal) implantada dentro do seu cérebro que determinará seu tempo de viagem, mas, ela não só determina o tempo, como imprime o tempo em nós, através das fases de nascimento, crescimento, reprodução, amadurecimento e morte, isto tudo em conexão com os movimentos deste gigantesco relógio que é o sistema solar, essas informações, de uma forma complexa, serão impressas de geração em geração o que identificará sua origem desde o princípio da família humana. Você viaja numa linda espaçonave azul chamada terra, ao olhar pela nossa “grande janela”, vemos estrelas sem fim, que viajam conosco através de uma estrada espacial com força, movimento e aceleração independentes de nosso controle e vontade, num compasso lógico e cadenciado, previamente determinada através do espaço tempo, dentro da linha cronológica da história, há cada segundo, minuto, dia, mês e ano, o tempo ocupa progressivo espaço num movimento contínuo que dura quase 6000 mil anos. Há um propósito na viagem, há estações previamente programadas, há um tempo para tudo, e principalmente, há um ponto de chegada para toda a humanidade. Viajamos sincronizados, nada acontece fora do tempo determinado, não existe nascimentos ou morte, acontecimentos políticos fora de controle, guerras, ou longos períodos de paz, nada existe no mundo físico como cataclismos desastrosos, desertos ou terras férteis, pobreza ou lindos países ricos, ateus ou fantásticos, nada absolutamente está fora de controle apesar de aparente caos, as épocas e estações, tudo que conhecemos está previamente determinado no cronograma do Eterno Criador YAHVEH, tempos que o Pai estabeleceu pela sua própria autoridade” Atos 1:7 DESCANSO NA VIDA DO PLANETA A terra e tudo o que habita nela também possui um “relógio biológico interno” com períodos de movimento e descanso. AS PLANTAS As plantas também possuem muito claramente um relógio biológico, períodos de produção e descanso sincronizado com a terra! Podemos ver isto nos períodos de podas, plantações e colheita. Tudo interligado com a quantidade de vegetação, que cobre a terra, dos elementos químicos que elas produzem e lança na atmosfera, ocasionando os determinados períodos de chuva que conservam equilíbrio dos lençóis freáticos, níveis dos rios e equilíbrio das temperaturas e ventos em torno do planeta. Tudo isso sob a influência do sol da lua e das estrelas! ANIMAIS PEIXES E AVES Além de trazerem beleza, os importantes animais, aves e peixes, equilibram a vida das espécies e limpam a terra, ar e as águas, além de serem importante fonte de alimento em algumas partes do planeta (onde há abundante vegetação, os animais não deveriam ser usados como alimento, entre as causas estão, doenças e contaminações). Seus hábitos de vidas também são regidos pelos movimentos dos astros, sol, lua e estrelas; hábitos, acasalamentos, migrações e períodos de descanso são perfeitamente pontuados por um misterioso e perfeitamente sincronizado “relógio biológico”. O Criador decretou o descanso até para o boi, que trabalhava para o homem! Ex. 20:10 (última parte). O HOMEM RACIONAL Necessário para a vida é o movimento, juntamente com ele, também o descanso para nos trazer recuperação das forças físicas, equilíbrio emocional, e um dos principais motivos estabelecidos para estes períodos de pausa e descanso é o entreter uma ligação saudável com O Grande Arquiteto do universo, Yahveh e seu Filho Yahshuah! Estes períodos de descanso não são aleatórios, são diários, semanais e mensais e anuais. O descanso diário está no movimento de rotação da terra, nas noites, quando nosso corpo produz o hormônio do descanso, a melatonina e acontece um relaxamento e revisão dentro do núcleo das nossas células, um “conserto” daquilo que por ventura estiver errado, um processo natural de cura. O descanso mensal é chamado na Escritura de Chosh Chodesh – Está na lua nova, onde a primeira crescente aparece no céu marcando o primeiro dia do mês. (Lev. 28: 11: 14). Este deveria ser um dia feliz para o povo! Dia de reconhecimento da bondade do Eterno por nos conceder a vida que nos cerca e tudo o que ela representa. Este descanso perdurará com a restauração do céu e da terra pelos dias eternos! (Isaias 66:22 e 23) O descanso cada 7º dia é chamado shabat que significa literalmente descanso, está no sétimo dia após a lua nova quando acontece a mudança da fase lunar. Ezq. 46: 1 a 3. Este descanso estava relacionado à adoração no templo, onde estava a presença de Yahveh no shekhinah. Hoje vivemos em situação diferente quanto ao local de adoração, porém não quanto ao período de descanso, o Salvador disse: “Tempo vem, quando nem neste monte e nem em Yahshalaym adorareis ao Pai...em que os verdadeiros adoradores adorarão ao Pai em rukha (com seu ser) e em emet (verdade) Yochanam (João) 4: 21 e 23.

 Agora pasmem, a cada 7 dias acontece uma recuperação celular, como a que se sucede diariamente no período noturno, só que neste 7º dia, esta benção da recuperação se estende por 24 horas, ou seja um movimento completo de rotação da terra sob a mudança da lua! O descanso anual é chamado de “moedim” – as Festas Fixas de Yahveh. No primeiro mês- Pesach dia 14, Bikurim (primícias) dia 16, Chag matzot (pães ázimos) dos dias 15 ao 21. Lev. 23:5 12 No terceiro mês- Shavuot dia 09, que são a contagem de 7 semanas inteiras (sem contar a lua nova ou dia 30) mais 1 dia – dando um total de 50 dias. Lev. 23:15 e 16 No sétimo mês- Yom Teru’ah (trombetas) dia 01, Yom Kippur, (dia do perdão/expiação) dia 10, Sukot Festas das Cabanas/Tabernáculos dia 15 a 21, mais o dia 15 que é um shabat do 7º dia. Lev. 23: 24 a 27 O descanso a cada 7º ano O shemitah que significa, ano sabático para descanso da terra, onde ela não deveria ser cultivada, a observação desta instrução natural do Criador, ao contrário de fome, traria constante abundancia de alimentos, repletos de nutrientes e livres de pragas. Lev. 25: 3 e 4. O descanso a cada 50º ano O Yovel (jubileu) além de ser um ano regenerador da terra, era também a volta dos escravos para suas devidas famílias, um ano de libertação e alegria ansiosamente esperado. Se houvesse dificuldades financeiras as pessoas poderiam fazer uma espécie de negociação onde ofereciam as terras e até as pessoas para trabalho, mas a instrução era que tudo seria restituído a quem de direito no ano Yovel, neste período havia uma reorganização da vida em liberdade, uma regeneração da vida civil e familiar. Estabilizando assim, as nações e a dignidade de seus indivíduos. Lev. 25: 8:11 Há também a semana milenar, depois de 6000 mil anos, obviamente, matematicamente, teremos o início do 7º milênio. A cada período de 7 (sete) temos um descanso. Uma referência a este tempo está em Apoc. 20: 2 e 3, onde vemos o descanso da história humana. A Escritura nos conta que este dia de descanso milenar antecederá uma nova vida recriada nesta terra, onde tudo será renovado, inclusive os céus, mas, porém, nem lá os astros perderão suas funções! Nossos relógios certamente serão reorganizados para tal realidade e ocasião! “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu”. Ecl. 3:1 E disse: Eis que te farei saber o que há de acontecer no último tempo da ira; pois isso pertence ao tempo determinado do fim. Dan. 8:19 “Vindo a plenitude dos tempos” enviou Seu Filho... Gal. 4:4 Vindo a plenitude do tempo Ele retornará. E naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo...Dan. 12:1 Nos resta saber que nada sabemos, nada sabemos o que seja eternidade do tempo...Só nos resta entender que tudo é perfeito ou se tornará perfeito, porque perfeito é o Projetista, Arquiteto, Criador do universo Aquele que tudo fez! 

Por
Ivonil Ferreira de Carvalho
Diná Soares

sábado, 18 de novembro de 2017

ADORADORES DE DEUS, A QUEM ADORAM?

ADORADORES DE DEUS, A QUEM ADORAM?


Todas as palavras tem o seu valor etimológico -  Definição:

Etimologia é uma palavra que procede do grego antigo ἐτυμολογία, composto de:
 ἔτυμος "étymos"  - palavras fontes
λογία "-logia" – estudo

Etimologia é ao estudo das origens das palavras.
 É a parte da gramática que trata da história ou origem das palavras e da explicação do significado de palavras através da análise dos elementos que as constituem. Por outras palavras, é o estudo da composição dos vocábulos e das regras de sua evolução histórica ao longo dos séculos.
Algumas palavras derivam de outras línguas, possivelmente de uma forma modificada as palavras-fontes são chamadas étimos. Por meio de antigos textos e comparações com outras línguas, os etimologistas tentam reconstruir a história das palavras - quando eles entram em uma língua, quais as suas fontes, e como a suas formas e significados se modificaram.
Os etimólogos também tentam reconstruir informações sobre línguas que são velhas demais para que uma informação direta (tal como a escrita) possa ser conhecida. Comparando-se palavras em línguas correlatas, pode-se aprender algo sobre suas línguas afins compartilhadas. Deste modo, foram encontrados radicais de palavras que podem ser rastreadas por todo o caminho de volta até a origem da família de línguas indo-europeias.
 Afinal, toda a palavra conhecida possui um significado e derivação de alguma outra palavra, que pode pertencer a outro idioma ou a uma língua que já foi extinta.
Um grande exemplo é o latim, língua que está há muitos anos em desuso e que é a responsável pela formação de várias palavras utilizadas atualmente na língua portuguesa, espanhola, italiana, francesa, entre outras, que são chamadas de "línguas latinas".
Porém, não apenas do latim construímos nosso vocabulário. Mesmo nos dias de hoje, inúmeros termos que usamos no cotidiano tiveram sua origem em idiomas estrangeiros ou de culturas que já não existem, como o tupi-guarani. No português falado no Brasil, existem muitas expressões e palavras que possuem seus étimos da língua tupi, como ipanema, copacabana, abacaxi, caju e inúmeras outras.
Confira exemplos da origem etimológica de algumas palavras da língua portuguesa:
·         Abacaxi: do tupi iba-cati (fruto que cheira muito)
·         Trabalho: do latim tripaliu (ser torturado)
·         Coração: do latim cor ou cordis (coração)
·         Cidadania: do latim civitas (cidade)
·         Amor: do latim amor (a grafia e significado continuam os mesmos do original latim)



Analisando a etimologia da palavra 'Deus':

O latim  Deus e Divus , Assim co mo o greg o διΟς = "divino" descendem do Proto-Indo-
 Ϝ Europeu Deiwos = "Divino", mesmo raiz que  Dyēus.  Uma divindade principal do panteão indo-europeu, igualmente cognato do grego Ζευς (Zeus) ".

Cognato – é a palavra que têm a mesma raiz. Cognatos são palavras que têm, etimologicamente, uma origem comum. Frequentemente, o termo é utilizado para  destacar pares de palavras de duas línguas que têm origem comum,  que são grafiasidênticas ou semelhantes,  mas que evolui de forma diferente, total ou parcialmente, quanto ao significado.  Assim sendo, Zeus é igual a  Deus. Ambos descendem do Proto-Indo-Europeu ' Dei.


A forma capitalizada do termo Deus quanto o diminutivo, que simboliza divindades, deidades em geral, tem origem no termo latino para Deusdivindade ou deidade

O português é a única língua românica neo-latina que manteve o termo na forma original com o final do substantivo em "us", diferentemente do espanhol Dios, do francês Dieu, do italiano Dio, e do romeno Dumnezeu, criador e zeu, ser idolatrado.

latim deus e divus, assim como o grego διϝος = divino descendem do Proto-Indo-Europeu deiwos = divino, mesma raiz que Dyēus, a divindade principal do panteão greco romano - europeu, igualmente cognato do grego Ζευς (Zeus).

Atualmente no mundo cristão é usado em frases e slogans religiosos, como por exemplo:

·         Deus sit vobiscum, variação de Dominus sit vobiscum, "o Senhor esteja convosco".
·         O hino litúrgico católico “Te Deum”, proveniente de “Te Deum Laudamus” - A Vós, ó Deus, louvamos".
·         A expressão que advém da tragédia grega Deus ex machina. Virgílio com “Dabit deus his quoque finem”, Deus trará um fim à isto.
·         O grito de guerra utilizada no Império Romano Tardio e no Império Bizantino, “Nobiscum Deus”, Deus está conosco”, assim como o grito das cruzadas “Deus vult”, assim quer Deus, esta é a vontade de Deus.

Em latim existiam as expressões interjectivas:

"O Deus meus" e "Mi Deus" correspondentes às seguintes formas neolatinas e germânicas:

·         Port. -  (Oh) meu Deus! (Ah) meu Deus! Deus meu!
·         Cat. -   Déu meu!
·         Esp. -  ¡(Ay) Dios mio!
·         Arag. - Ai ridiós!
·         Fran. - (Oh) Mon Dieu!
·         Bret. -  Ma Doue!
·         Ital.   - Dio Santo! Dio mio!
·         Ro.   -  (O) Doamne! Dumnezeule!
·         Ing.  -  Oh my God! As variações Oh my Gosh!, Oh, My! Oh my Goodness! se dão devido ao forte tabu cristão.
·         Al.  -    (Ach)/(O) mein Gott!
·         Hol.  -  O, mijn God!
·         Din.   -  Åh Gud!
·         Nor. -   Herregud! Herre Gud!
·         Sue. -   Oh Herregud! Oh min gud!
·         Esperanto -  Mia Dio!

Nomes próprios não se traduzem, apenas transliteram-se, o nome YAHVEH é único,  intransferível, insubstituível e acima de tudo sagrado, apesar desta regra clara, vemos várias variações, para suprir a adoração dos povos, adoração esta que vai longe do real.

·         Deus - Português
·         Sira   -  Persa
·         Golt  -  Alemão
·         Dion -  Provençal
·         Zung - Chinês
·         Lian   - Peruano
·         Llos   - Dórico
·         Bokh - Russo
·         Zeut  - Egipcio
·         Adad - Sirio
·         Dios  - Espanhol
·         Goth -Teuetônico
·         Dieu - Francês
·         Diou - Vândalo
·         Rain - Indostão
·         Zene -Válaco
·         Allá  - Malaio
·         Tixo  - Zulu
·         Alah - Árabe
·         God - Inglês
“Dei”,  é uma forma flexionada ou declinada de Deus, usada em expressões utilizadas pelo Vaticano, como as organizações católicas apostólicas romanas ‘Opus Dei - Obra de Deus”, sendo obra oriunda de opera, Agnus Dei (Cordeiro de Deus) e Dei Gratia (Pela Graça de Deus).
No caso genitivo ("de Deus"),  é também a forma plural primária adicionada à variante Di. Existe o outro plural, “Dii”, e a forma feminina “deae” - deusas.

A palavra "Deus," através da forma declinada "Dei", é a raíz de deísmo, pandeísmo, panendeísmo, e polideísmo, ironicamente tratam-se todas de teorias na qual qualquer figura divina é ausente na intervenção da vida humana. Essa circunstância curiosa originou-se do uso de "deísmo" nos séculos XVII e XVIII como forma contrastante do prevalecente "teísmo", crença em um Deus providente e interferente.

São Jerônimo traduziu a palavra hebraica  ULhim ou Yahveh,  para o latim Deus.

A forma mais antiga de escrita da palavra germânica Deus vem do Codex Argenteus cristão do século VI. A própria palavra inglesa é derivada da Proto-Germânica "ǥuđan". A maioria dos linguistas concordam que a forma reconstruída da Proto-Indo-Européia (ǵhu-tó-m) foi baseada na raiz (ǵhau(ə)-), que significa também "chamar" ou "invocar".  Swinburne, R.G. "God" in Honderich, Ted. The Oxford Companion to PhilosophyOxford University Press, 1995.

A forma capitalizada "Deus" foi primeiramente usada na tradução gótica de Wulfila do Novo Testamento, para representar o grego "Theos".
Na língua inglesa, a capitalização continua a representar uma distinção entre um "Deus" monoteísta e "deuses" no politeísmo.
 Edwards, Paul. "Deus e os filósofos" em Honderich, Ted. The Oxford Companion to PhilosophyOxford University Press, 1995.

Apesar das diferenças significativas entre religiões como o Cristianismo, Islamismo, Hinduísmo, a Fé Bahá'í e o Judaísmo, o termo "Deus" permanece como uma tradução comum a todas. O nome pode significar deidades monoteísticas relacionadas ou similares, como no monoteísmo primitivo de Akhenaton e Zoroastrismo. Fonte: Wikipédia

GOD

Na era clássica do latim o vocábulo Deus era uma referência generalizante à qualquer figura endeusada e adorada pelos pagãos.
A palavra Deus (latim) traduz-se para o inglês God  Germânico GUTHAN, do Indo-Europeu GUTHAN, “aquele  que é invocado”. 

God  - G, Gudis em góticoGud no escandinavo moderno, 
God em neerlandês, e Gott no alemão moderno), que deriva do proto-germânico Guđán.  https://pt.wikipedia.org/wiki/Deus_(palavra)

No inglês o termo "Deus" ou a expressão "the Deus" para deixar claro de que a entidade discutida não trata-se de um "Deus" teísta. Arthur C. Clarke usou-o em seu romance futurista, 3001: The Final Odyssey. Nele, o termo Deus substituiu God no longínquo século XXXI, pois God veio a ser associado com fanatismo religioso. A visão religiosa que prevalece em seu mundo fictício é o Deísmo.
God curiosamente de trás para frente se lê “dog” que quer dizer “cão”. Estranho não?
Senhor – Lord
Palavra do Inglês antigo Hlaford, “senhor de uma casa, superior, chefe”, de Hlafweard, “o que guarda os pães”, de Hlaf, “pão”, mais Weard, “vigia, guardião”.
YAHVEH
O nome Yahveh é derivado da forma causativa do verbo hebraico havah que significa “ser” ou “existir” no perfeito do singular do verbo Ser.

Este nome não tem nenhuma referência a Zeus ou a Deus ou qualquer outra forma de idolatria pagã.

EM TUDO O QUE VOS TENHO DITO, ANDAI APERCEBIDOS; DO NOME DE FALSOS CRIADORES  NEM VOS LEMBREIS, NEM SE OUÇA DA VOSSA BOCA. SHEMOT(ÊXODO) 23:13

Ivonil Ferreira d e Carvalho
Diná soares